Bem-vindos ao nosso blog!

EU QUERO PLANEJAR A MINHA CARREIRA! Cadastre-se e tenha acesso a todas as nossas informações.

 
 

Não quero, obrigado.

Como planejar a carreira se nem sei em que área quero trabalhar? - Coaching para Biomédicos com Marcos Schott

Como planejar a carreira se nem sei em que área quero trabalhar?

Autoconhecimento , Biomedicina , Carreira , Dados científicos | Por: | 26 set 2016 | 0 Comentário

 

A gente sempre escuta os mais velhos dizendo que precisamos ter uma meta bem clara e traçar um plano para alcançá-la. Cada vez querem que nós tomemos decisões importantes a respeito de nossas vidas mais cedo. Isso pode ser um reflexo comportamental do mundo moderno. Se nosso comportamento está mudando, porque queremos continuar com as mesmas ideias em relação ao nosso futuro, seja pessoal ou profissional?

Uma das coisas que deixa o planejamento de carreira distante da nossa realidade é a forma como entendemos a palavra "planejamento". Quando pensamos em plano aparece o Tom Cruise na nossa mente explicando uma missão impossível. Parece que precisamos prever todo o futuro para criarmos as ações necessárias para superar os obstáculos à frente em um timing preciso. Na verdade, precisamos nos adiantar sim, mas não tanto. E não em uma linha reta. Nos ensinaram nas aulas de matemática que uma reta é a menor distância entre dois pontos. É verdade, mas a linha reta nem sempre é o melhor caminho. O filósofo Bauman diz que vivemos em tempos líquidos, onde as coisas são mais fluídas, retas e concretas como há tempos atrás. Se percebermos o planejamento de carreira como algo rígido, concreto, imutável, isso poderá nos criar problemas.

Normalmente ao fazer um plano de carreira, você terá que responder a perguntas como: o que você quer estar fazendo daqui 5, 10 e 20 anos. Difícil responder? E se eu te falar que essa resposta não importa? É, não importa. Provavelmente daqui 10 anos você estará fazendo algo completamente diferente do que planejou. Aquele lance de conseguir um bom trabalho depois da faculdade e se aposentar nele já é coisa do passado. Segundo o portal de empregos Catho, o tempo mínimo médio de um funcionário contratado pelos recrutadores é de 2,9 anos, sendo que em 2009 essa média era de 3,5 anos e se mantinha estável desde 2005. As coisas estão mudando.

Então como planejar se cada vez tenho mais incertezas sobre o futuro? Boa pergunta. Cada vez mais vemos empresas e profissionais se preocupando menos com o que eles estão e estarão fazendo. Ao invés disso eles estão mais preocupados em saber o porquê. Qual o propósito por trás do plano. Podemos ganhar dinheiro de várias maneiras, mas queremos mais que isso, queremos uma carreira, uma empresa, uma vida com propósito. E o propósito só se revela quando desenvolvemos um nível de autoconhecimento mais elevado.

O que quero dizer é: dá para se planejar uma carreira sim, se levarmos em conta que o planejamento deve ser algo flexível, para adaptarmos nossas ações às realidades do hoje, se entendermos que as coisas da maneira como conhecemos mudarão e mudarão de forma cada vez mais rápidas e que temos que desenvolver um alto nível de autoconhecimento para encontrarmos o propósito em tudo que fazemos. Não é uma missão impossível.

Faz sentido?

Grande abraço,

Marcos Schott

Criador do DPCB

QUERO PLANEJAR A MINHA CARREIRA! Clique aqui para começar AGORA!

COMPARTILHE


Sobre o Autor


Foto Autor

Marcos Schott

Minha missão de vida é ajudar pessoas a desenvolverem-se pessoal e profissionalmente e espero poder ajudar você também! [Saiba mais]

Paginação entre posts

Comentários


Deixe o seu comentário